A descida dos salários dos expatriados europeus a trabalhar em Angola, com salários fixados em USD (O efeito Trump)

Desde o inicio do ano o USD já desvalorizou apróximadamente 6.5% em relação ao Euro, estando ao dia da publicação do presente post a ser negociado a 0.88815.

Isto significa que, além das dificuldades que os expatriados europeus, que trabalham em Angola, que têm os seus salários fixados em USD (grande maioria) enfrentam na repatriação dos seus salários, ainda vêm os mesmos, diminuídos na mesma proporção da referida desvalorização.

Mais, mesmo que quisesse receber no seu país em USD esperando que esta moeda tivesse melhores dias, também não o conseguiriam, uma vez que o BNA, neste momento, só está a disponibilizar Euros, fruto das restrições impostas pela Reserva Federal Americana à República de Angola.

A titulo de exemplo, um expatriado que aufira o salário liquido de 2,500 USD, no inicio do ano estaria a receber na Europa o valor liquido de 2.364,70 Euros, e agora está a receber 2.220,38 Euros, ou seja, menos 144,32 Euros por mês!

Segundo muitos analistas financeiros, esta tendência irá se manter fruto do chamado “Efeito Trump”, pois, desde que Donald Trump foi eleito Presidente dos Estados Unidos da América que a economia Americana tem sofrido desconfiança e incerteza por parte dos mercados beneficiando a Zona Euro, que ao contrário da anterior tem manifestado bons indicadores de estabilidade e crescimento, mesmo com um Brexit a ser negociado.

 

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.