Construtoras forçadas a perdoar metade da dívida de Angola

É uma espécie de perdão de dívida forçado. O estado angolano comprometeu-se a saldar as dívidas às empresas portuguesas, especialmente ao setor da construção. Mas não assume o efeito da desvalorização do kwanza, segundo o Expresso. Isso implica que as empresas portuguesas tenham de assumir um perdão forçado de cerca de 300 milhões de euros.

A notícia surge depois da visita de António Costa a Luanda, a meio deste mês de setembro. A divisa angolana tem estado em queda livre face ao euro e ao dólar. Só desde o início do ano desce cerca de 40% face à divisa americana. Isso coloca pressão adicional às entidades angolanas para fazerem face à dívida contraída noutras moedas.

Um dos maiores devedores é o próprio Estado que, no passado, recorreu já a tipos menos convencionais de acordos para saldar a dívida, abatendo créditos em troca de dívida soberana, por exemplo.

 

Publicação da autoria de Fonte Externa:
Lusa
29/09/2018

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.