Lactiangol comprada por grupo libanês, acordo salvaguarda os 237 trabalhadores

O Grupo económico libanês Webcor, o mesmo que detém a empresa de distribuição alimentar Angoalissar, adquiriu, em Agosto último, a Lactiangol, SA, a principal unidade industrial de lacticínios em Angola, pelo equivalente em kwanzas a 12 milhões de dólares, informou hoje ao NJOnline o seu PCA, que garantiu que os mais de 200 funcionários não perderão os seus empregos.

“Foi vendido pelo equivalente em kwanzas a 12 milhões de dólares, 50% desse valor já foi pago, que foi o que acordámos”, disse o presidente do conselho de administração da Lactiangol, José César Macedo.

De acordo com José César Macedo, a situação financeira que o País atravessa desde 2015 e a falta de apoio à indústria nacional foram as razões que levaram a que os accionistas da Lactiangol vendessem a maior empresa de lacticínios de Angola.

“Se não tomássemos essa iniciativa, a empresa correria o risco de decretar falência”, disse o responsável.

Quanto aos postos de trabalho dos 237 funcionários que a empresa possui, o responsável afirmou que estão salvaguardados pelo acordo feito com os novos donos.

“Estão salvaguardadas duas questões fundamentais: primeiro os postos de trabalhos e segundo a continuação da produção nacional”, explicou.

José César Macedo entende que o País não pode continuar a importar tudo e deve apostar na transformação de matérias-primas em produtos acabados. Lembrou, no entanto, que isso só é possível “se os bancos derem divisas às empresas para que possam trabalhar”.

Já em Maio de 2018, em declarações ao NJOnline, o PCA da Lactiangol assumia que a empresa atravessava um período crítico por causa da dificuldade de acesso a divisas, o que levou à diminuição da produção de leite e outros produtos lácteos, pondo em risco postos de trabalho.

Na ocasião, José César Macedo admitiu que a empresa estava “praticamente parada” desde o início do ano por falta de matéria-prima e outros consumíveis para a produção, porque a política financeira da atribuição de divisas praticada no País pelo Banco Nacional de Angola “está apenas a beneficiar o sector do comércio em detrimento do sector industrial”.

“Infelizmente, o modelo aplicado na gestão das divisas fez com que a fábrica de produção nacional fique sem solução, porque as divisas estão a ser todas direccionadas para o sector comercial para importar leite”.

“Se não nos permitem o acesso às matérias-primas para podermos criar riqueza no País é evidente que a situação tem de se degradar. Se não nos atribuírem divisas, corremos sérios riscos nos próximos tempos”, explicava, em Maio, o PCA, antecipando já o cenário que levou à venda da empresa.

A Lactiangol foi criada em 1994, resultando da privatização da antiga Central Leiteira de Luanda, e tem hoje 237 trabalhadores.

Com 25 anos de existência, a Lactingol é a principal unidade industrial de Lacticínios de Angola, sendo a empresa líder destacada no mercado nacional na sua área de actividade.

Publicação da autoria de Fonte Externa:
Novo Jornal
09/01/2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.