Angola registou a segunda maior quebra na produção petrolífera da OPEP em 2018

Angola registou a segunda maior quebra na produção petrolífera durante 2018, em termos percentuais, entre os 14 países que integram a Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP), segundo dados de um relatório divulgado hoje pelo cartel.

De acordo com o documento, citando dados de fontes secundárias, Angola produziu, em média, 1,505 milhões de barris de petróleo de crude por dia em 2018, uma diminuição de 7,7% face aos 1,634 milhões de barris por dia em 2017.

Entre os 14 membros da OPEP, apenas a Venezuela registou uma maior variação negativa em 2018, com a redução de 29,9%, passando de 1,91 milhões de barris diários para 1,34 milhões de barris por dia.

Em sentido inverso, a República do Congo registou o maior crescimento, em termos percentuais, com o aumento da produção em 66.000 barris diários, um crescimento de 26,2%.

Em termos nominais, o país com maior crescimento na produção diária foi a Arábia Saudita, que era já o maior produtor entre os que integram a OPEP, que em 2018 produziu mais 353.000 barris por dia que no ano anterior.

A produção petrolífera venezuelana, além de ter sido a que registou uma maior variação negativa em termos percentuais, foi também a que verificou uma maior redução em termos nominais, com menos 572.000 barris produzidos por dia.

O relatório da OPEP, mensal e que na edição de Janeiro agrega os dados de produção de petróleo de 2018, consolida a posição de Angola enquanto segundo maior produtor em África, apenas atrás da Nigéria.

Publicação da autoria de Fonte Externa:
Mercado
18/01/2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.