Primeiro leilão de diamantes em Angola rende 16,7 milhões de dólares

O primeiro leilão de diamantes a ser realizado em Angola, em que foram colocados à licitação sete diamantes de qualidade excepcional, rendeu 16,7 milhões de dólares, informou a Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (Sodiam).

Este leilão, que contou com a participação de 31 empresas, realizou-se ao abrigo da nova política de comercialização de diamantes aprovada em 27 de Julho de 2018, sendo os sete diamantes colocados à venda provenientes da concessão mineira do Lula, cujo operador e maior accionista é a empresa australiana Lucapa Diamond Company.

A Sodiam informou ainda que as 31 empresas eram provenientes de oito países, designadamente Angola, Bélgica, Emirados Árabes Unidos, Índia, Estados Unidos da América, África do Sul, Israel e China, tendo as vencedoras que apresentaram as propostas de maior valor sido a Arslanian Group DMCC, Blue Glacier Diamonds, Kapu Gems, Shree Ramkrishna Export Pvt Ltd, M.B.D. BVDA e Julius Klein Group.

O ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, ao comentar este leilão em que as empresas interessadas apresentaram as suas propostas em “carta fechada”, sublinhou a importância da venda em hasta pública de diamantes em bruto e o momento histórico que representa para Angola.

“Os resultados obtidos deixam o governo, o ministério e todas as entidades envolvidas satisfeitas, quer pelo resultado obtido, quer pela forma eficiente, profissional e transparente em que assentou todo o processo”, referiu o ministro, citado pela agência noticiosa Angop.

Este primeiro leilão de diamantes em bruto em Angola foi apresentado publicamente pelo ministro dos Recursos Naturais e Petróleos em Luanda a 28 de Janeiro, numa cerimónia organizada pela Sodiam.

A Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola é o órgão público responsável por todo o processo de comercialização (compra, venda, importação e exportação) dos diamantes em Angola.

Publicação da autoria de Fonte Externa:
Macauhub
01/02/2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.