Dívida pública vale um terço dos activos da banca nacional

Os títulos de dívida pública pesavam 34,01% dos activos do sistema bancário no final de 2018, quase o dobro do registado em 2013, segundo dados do BNA.

O peso dos títulos e valores mobiliários no total dos activos do sistema bancário quase duplicou entre 2013 e 2018, valendo cerca de um terço do total no final do ano passado, enquanto o crédito a clientes perdeu importância, passando de 40,85% para 25,93% no mesmo período, indicam dados do Banco Nacional de Angola (BNA).

De acordo com uma apresentação feita na semana passada pelo banco central a membros do corpo diplomático acreditado em Angola, a que o Mercado teve acesso, em 2013, os títulos de dívida do Estado e mobiliários (ou seja, adquiridos em mercados primário e secundário) valiam 18,73% dos activos da banca, passando para 34,01% no final do ano passado.

Em 2014, estes títulos valiam 22,03%, em 2015, 27,62%, em 2016, 30,31%, e em 2017, 34,01%, percentagem que se manteve no ano passado. Ao longo dos últimos anos, em especial a partir de 2014/2015, a queda do preço do petróleo causou crescente pressão sobre as contas públicas, com o Estado a emitir cada vez mais dívida interna para se financiar, sendo os bancos os principais, ou quase exclusivos, compradores.

Em contrapartida, a banca tem vindo a dar cada vez menos crédito à economia- uma queixa recorrente dos empresários- com o peso deste indicador a valer cada vez menos nos activos do sistema. No final de 2013, o crédito a clientes valia 40,85% dos activos, em 2014, subiu ligeiramente para 41,20%, mas nos anos seguintes foi caindo: 38,05% em 2015, 31,57% em 2016, 30,77% em 2017 e 25,93% em 2018. No período em análise, os activos do sistema passaram de cerca de 6,5 biliões Kz, para cerca de 13 biliões milhões Kz.

Em relação à estrutura do passivo, os recursos de clientes e outros empréstimos passaram de 78,49% para 83,36% entre 2013 e 2018, de acordo com a mesma fonte.

Publicação da autoria de Fonte Externa:
AngoNotícias/Jornal Mercado
25/03/2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.