Auditor externo faz críticas às contas do BNA

As contas de 2018, que o Banco Nacional de Angola (BNA) pós à disposição da crítica no início deste mês, através da sua página de internet, mostram fortes reservas por parte do auditor externo contratado para sua validação.

O auditor KPMG explica que da leitura minuciosa do documento foi identificada uma imparidade no montante de 12.903 milhões de kwanzas (39,4 milhões de dólares ao câmbio do dia 13 de Maio deste ano), um valor que se encontra líquido das recuperações efectuadas durante 2018.

Tais incertezas na recuperação plena dos valores aplicados fizeram com o que a KPMG manifeste reservas na opinião. Há ainda os 18.478 milhões de kwanzas (56,5 milhões de dólares) da rubrica “Outros valores passivos – credores diversos – fornecedores” que são de um impacto não possível de medir na rubrica “Valores a receber de instituições não financeiras”.

Uma outra posição de “braço-de-ferro” manifestada pelo auditor está relacionada com o facto de a Lei do BNA, no seu artigo 23º, não permitir que os empréstimos concedidos a instituições financeiras não tenham prazo superior a três meses. Todavia, e em face às sucessivas dificuldades de liquidez das instituições de crédito, as operações de redesconto e outros financiamentos com determinadas instituições de crédito têm sido sucessivamente renovados.

O relatório & Contas do BNA, em 31 de Dezembro de 2018, apresentou um activo com saldo em cerca de 7,06 biliões de kwanzas, traduzindo um acréscimo em torno de 2,37 biliões (50 por cento) comparativamente a 31 de Dezembro de 2017. Do lado do passivo, houve um acréscimo em cerca de 1,84 biliões (42) para 6,19 biliões.

No exercício de 2018, apurou-se um resultado positivo no valor de 18,59 mil milhões de kwanzas, correspondente a uma variação de 131 por cento face ao exercício anterior.

Relativamente aos capitais próprios, que ascende a 885,38 mil milhões, verifica-se um aumento no montante de 527,57 mil milhões de kwanzas (+147) face ao exercício anterior.

O documento de balanço diz ainda que o orçamento do exercício económico de 2018 apresentou um superávite de 104,48 milhões de kwanzas, o que reflectiu um grau de execução de 456 por cento acima do estimado (22,90 mil milhões).

Publicação da autoria de Fonte Externa:
AngoNotícias/Economia&Finanças
17/05/2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.