“João Lourenço: perto de aniquilar a vida do patriota” por João Rodilson Hungulo em Angola 24 Horas

“Apontar João Lourenço como um messias, é uma redundância, uma obscenidade descomunal, Messias é filho de Deus, nunca perseguiu nem sequer os que o pregaram na cruz, nunca traiu ao Pai que lho enviou à terra, mesmo após a tentação que lhe fora imposta por Satã.”

“Um messias não fomenta tensões sociais, não humilha ninguém, não cria lista negra para matar ou torturar os seus adversários, não persegue os seus rivais, com obstinação com que Lourenço o faz contra pessoa do Patriota e os que lhe são próximos, um Messias não institui o terror mortal contra os que lhe opõem.

A indiferença de Lourenço pela conciliação é proverbial, sobre este estado de ebulição que queima a unidade do MPLA, está a perseguição que parece não querer encontrar um fim, o facto de Isabel dos Santos ser a única empresária a ver anulado o contrato que fazia presente no plano de requalificação de Luanda, é bastante suficiente, que até mesmo cegos e surdos saibam perceber que há perseguição no meio angolano instituída pelo actual estado de Governo. A luta de Lourenço contra o Patriota é uma desinteligência assaz.

João Lourenço assemelha – se ao monarca do conto de Hans Christian Andersen que saudava o povo na procissão ou na varanda do seu palácio com as mão sujas, embora ninguém dos seus cortesãos se atrevesse a dizer – lhe a verdade, todos fingiam estar tudo bem. O mesmo acontece hoje no círculo de João Lourenço. Ninguém sabe se pronunciar contra a guerra que assista no seio do regime angolano. Os seus sequazes hoje, mentem ao Presidente da República, fazem – lhe crer que as coisas em Angola estão num bom caminho, e que, tudo indica ele é o merecedor do louvor popular, (…).

Vivemos hoje numa Angola marcada por perseguição sem tréguas ao Patriota e sua clã. Essa perseguição tornou – se tão profunda que João Lourenço terá cometido um homicídio frustrado contra José Eduardo dos Santos, apenas, Deus inverteu o processo que tinha por alvo exterminar a vida do Patriota. Tudo indica que o avião da TAAG apresentava – se completamente envenenado, desde os seus ares condicionados e demais equipamentos, o que evitaria o alcance à Barcelona por parte do Patriota, um plano macabro, bem pensado por João Lourenço visava exterminar a vida do Patriota.

Além do mais, o facto de ter prendido o seu filho varão marcou outro evento singular de homicídio frustrado, João Lourenço sacrificou a vida do Patriota, e quase que o deixou longe do mundo dos vivos, foi graças à um milagre que o Patriota hoje fez – se continuado no nosso meio. A extinção da vida do Patriota parece hoje um plano útil do Governo de João Lourenço, que não dá nenhum exemplo plausível de reconciliar o País à sul do Saará, senão mesmo, edifica constrangimento no processo de reconciliação do MPLA cujo alvo visa perseguir de forma implacável o Patriota e sua clã. A isso, soma – se o capricho político irresponsável de mau grado marcado por perseguição aos três filhos do Patriota: Zeno, Isabel e Tchizé.

Que deus rica e poderosamente abençoe o patriota e sua família!

João Rodilson Hungulo

Nota: Este artigo é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não representa a opinião deste site de notícia

– A liberdade de expressão é um direito fundamental consagrado na Constituição Angolana, a pessoa é livre de manifestar o seu pensamento e suas opiniões, pela imprensa ou por qualquer outra via.”

Publicação da autoria de Fonte Externa:

Angola 24 Horas

03/06/2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.