Entrada em vigor do IVA em vias de ser adiada

Empresários reuniram esta manhã na Cidade Alta com os membros do Executivo.

Durante três hora de duras negociações, representantes das associações empresariais e membros do Executivo acordaram, para já, a alteração de entrada em vigor do IVA-Imposto sobre o Valor Acrescentado.

Assim, prevê-se novas datas. Ou seja, a entrada em vigor do IVA pode passar de Julho para Outubro, dependendo do cronograma a assumir entre a Administração Geral Tributária e o Grupo Técnico das Associações Empresariais, revela fonte do Mercado pedindo anonimato.

O encontro que decorreu na Cidade Alta discutiu também a necessidade de redução da taxa de 7% para empresas em regime transitório e analisou a possibilidade da aplicação do IVA na educação e ensino, a dedução de 10% sobre o valor dos stocks na verba liquidada de Imposto Industrial presumível de 2%.

O Grupo Técnico das Associações Empresariais também manifestou a preocupação de se estudar um mecanismo que crie instrumento legal específico que evite a dupla tributação no caso dos adiantamentos a despachantes oficiais.

A concertação prevê também um encontro com empresas de softwares de gestão para concertar a hipótese de se implementar o IVA em Outubro, embora a posição do Grupo Técnico das Associações Empresariais seja em Janeiro de 2020.

Para obter mais esclarecimentos sobre as principais conclusões da reunião no Palácio, o Mercado contactou o coordenador do Grupo Técnico para a Implementação do IVA, Adilson Sequeira, mas não obteve qualquer resposta.

Entretanto, um líder de uma associação empresarial que também participou da reunião, pedindo anonimato, diz que ainda não se chegou a nenhuma conclusão. “Estamos só a dialogar e ainda não temos conhecimento que já haja conclusão”.

O líder associativo refere que a maior preocupação apresentada ao titular do poder Executivo é o facto das empresas não estarem devidamente preparadas para a implementação do IVA já a partir de 1 de Julho, isto é, daqui a 16 dias. “ O que nós estamos a solicitar é que haja uma prorrogação do prazo de maneiras que as empresas estejam bem preparadas”, disse, confirmando, assim, o possível adiamento da entrada em vigor do IVA.

Publicação da autoria de Fonte Externa:

Mercado
14/06/2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.