Apesar do FMI, atrasados externos aumentaram

O stock de atrasados externos de Angola aumentou 8% para 4 mil milhões USD desde as negociações para o programa de financiamento do Fundo Monetário Internacional (FMI) ao País no final de 2018, depois de o Executivo ter detectado atrasados externos adicionais, mas também porque bancos correspondentes estrangeiros rejeitaram pagamentos devido à inadequação das normas internacionais sobre combate ao branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo.

De acordo com o relatório do FMI sobre a primeira avaliação ao cumprimento do programa, a que o Expansão teve acesso, este aumento do stock de atrasados externos de 3,7 mil milhões USD para 4 mil milhões levou o Executivo a solicitar ao Fundo a dispensa de avaliação ao critério de desempenho contínuo sobre a não acumulação de atrasados de pagamentos externos.

“Desde o início do acordo, as autoridades descobriram atrasos externos adicionais, inclusive a credores privados estrangeiros, porque as ordens de pagamento não foram processadas por bancos correspondentes devido a preocupações com o Combate ao Branqueamento de Capitais e o Financiamento ao Terrorismo”, refere o documento. (…)

(Leia o artigo integral na edição 529 do Expansão, de sexta-feira, dia 21 de Junho de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Publicação da autoria de Fonte Externa:
Expansão
25/06/2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.