BNA dá “cartão vermelho” a 19 bancos que ficam de fora dos leilões de divisas

Banco central alega incumprimento de legislação que obriga os bancos a justificarem o caminho dado aos dólares que compram semanalmente nos leilões de divisas. Banqueiros querem mais tempo para reporte.

Dezanove bancos foram impedidos esta semana de participar nos leilões de divisas, já que este foi o “castigo” aplicado pelo Banco Nacional de Angola (BNA) por não terem reportado devidamente ao banco central as operações executadas com as divisas adquiridas em leilões anteriores.

Os bancos são os seguintes: Millennium Atlântico, BAI, Caixa Geral Angola, Banco Comercial do Huambo, BCI, Banco de Crédito do Sul, Banco Económico, BFA, BIC, Banco de Investimento Rural, Banco Kwanza Invest, Banco Micro-Finanças, BNI, Banco Prestígio, Banco Valor, Sol, VTB e Banco Yetu, nos leilões de divisas realizados pelo Banco Nacional de Angola (BNA).

O banco central alega que ao não terem reportado devidamente as operações executadas anteriormente, os bancos violaram o Instrutivo nº19/2018, de 3 de Dezembro, que obriga a que a “moeda estrangeira adquirida (…) deve ser obrigatoriamente utilizada para cobertura de operações constantes do Mapa de Necessidades submetido ao Banco Nacional de Angola”.

Assim, “o reporte das operações executadas na plataforma SSIF não reflecte o montante total vendido, facto que contraria o disposto no Instrutivo”, lê-se no documento do BNA.

O comunicado conjunto dos Departamento de Mercados de Activos e de controlo Cambial do BNA, enviado às instituições bancárias, admite que alguns bancos poderão ter executado as operações, mas a falta de reporte na íntegra contraria o disposto na Directiva nº01/DCC/2017 de 1 de Fevereiro. (…)

(Leia o artigo integral na edição 534 do Expansão, de sexta-feira, dia 26 de Julho de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Publicação da autoria de Fonte Externa:
Expansão
31/07/2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.