Executivo aprova programa para emissão de Eurobonds

Um programa global de médio prazo, para emissão de títulos de dívida soberana (Global Medium Term Note Programme-GMTN), nos mercados internacionais, sob a forma de Eurobonds, foi aprovado por Despacho Presidencial.

O referido programa surge no âmbito dos êxitos obtidos com a emissão de Eurobonds nos mercados internacionais, o que contribuiu para o estabelecimento de um canal privilegiado de acesso de financiamento externo.

Em Abril de 2018, Angola procedeu à emissão, em Londres, de três mil milhões de dólares norte-americanos em Eurobonds, três anos depois de ter emitido títulos dívida soberana, no valor de 1,5 mil milhões de dólares, com maturidade de 10 anos.

Os títulos emitidos em Abril de 2018 foram repartidos em duas parcelas, a primeira das quais com maturidade de dez anos e com um valor nominal de 1.750 milhões de dólares, emitida com uma taxa de juro do cupão fixada em 8,25 por cento.

A segunda parcela, com maturidade de 30 anos e com um valor nominal de 1.250 milhões de dólares, foi emitida com uma taxa de juro de 9,375 por cento.

Três meses depois, o Governo avançou com a reabertura daquela emissão, dada a forte procura que existiu, garantindo mais 500 milhões de dólares.

Com este programa, o GMTN, sigla em inglês, o Executivo quer diversificar as fontes de financiamento do Estado, de acordo com a estratégia de endividamento público de médio prazo.

De acordo com o Despacho Presidencial pública do em Diário da República, de 01 de Outubro, o programa global de médio prazo para a emissão de títulos de dívida soberana é uma modalidade que garante celeridade e flexibilidade na emissão de Eurobonds.

O Decreto atribui poderes a ministra das Finanças para aprovar e assinar a Carta-Mandato com as instituições financeiras seleccionadas para integraram o Global Medium Term- Note Programme (GMTN), para a emissão de Eurobonds, bem como a documentação relacionadas com o mesmo.

Publicação da autoria de Fonte Externa:
Angonotícias/Angop
14/10/2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.