Comissão Económica aprova plano para travar especulação de preços

A Comissão Económica do Conselho de Ministros aprovou, nesta segunda-feira, 30 de Dezembro, a estratégia com vista a travar os actos de especulação de preços na economia nacional, em particular dos bens da cesta básica.

A medida, tem como objectivo contribuir para a estabilidade do mercado, nos produtos incluídos no regime de preços vigiados, para a estabilização do poder de compra das famílias. Dos produtos prioritários da cesta básica constam, entre outros, açúcar, arroz, farinha de milho e trigo, feijão, leite, óleo alimentar, sabão, sal, massa alimentar, sumos, carnes bovina, suína e frango. Além da especulação.

Durante a reunião que teve lugar na Cidade Alta, sob a orientação do Chefe de Estado, foi também aprovado, na esfera da economia e planeamento, um conjunto de tarefas a desenvolver visando melhorar a classificação de Angola no Relatório “Ease of Doing” Business, que será publicado pelo Banco Mundial em Outubro do próximo ano.

No referido relatório, que avalia a “Facilidade de Fazer Negócios” em vários países, Angola é colocada numa posição ainda não desejável, sendo urgente implementar acções com impacto na melhoria do ambiente de negócios no país.
Ao longo do ano passado, Governos de 115 economias no mundo lançaram 294 reformas para facilitar o ambiente de negócios para o sector privado, abrindo caminho para mais emprego, expansão da actividade comercial e maior rendimento para muitos.

Na mesma sessão foi também aprovado o memorando sobre a Estratégia de Operacionalização do “Quadro Integrado” no âmbito da Organização Mundial do Comércio, documento que apresenta as acçõesdesenvolvidas e a desenvolver para a implementação do Quadro Integrado Reforçado no país, assim como as respectivas propostas de calendarização e orçamento.


O Quadro Reforçado Integrado é uma iniciativa internacional, na qual participam, como parceiros multilaterais, o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Mundial (BM), o Centro de Comércio Internacional, a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento, a Organização Mundial do Comércio e os parceiros bilaterais, com o objectivo de dar respostas às necessidades dos Países Menos Avançados (PMA) em matéria de desenvolvimento do comércio e consequente inserção no comércio mundial, refere o comunicado de imprensa saído da reunião.

Os membros do Executivo foram informados sobre a previsão das necessidades de abastecimento alimentar para o primeiro trimestre de 2020.

Publicação da autoria de Fonte Externa:
MINFIN
31/12/2019

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.